O Adeus de Fifó e Janice

Vou quebrar o meu silêncio para falar destas jogadoras fabulosas.

Tenho de confessar que não consegui conter as lágrimas quando vi esta entrevista porque deu para perceber claramente o quanto este passo lhes está a custar. Dizer adeus custa muito. Muito.

E nós, quando nos sentimos felizes e confortáveis, nunca estamos preparadas para dizer adeus. Então quando se ama e se sente um clube como elas o fizeram e vão continuar a fazer então ainda mais dificil fica.

Se por um lado vou ter umas saudades doidas de as ver a jogar em Portugal, por outro lado, sei que o futsal português vai ter mais duas embaixadoras lá fora, e isso é um motivo de orgulho para todos nós. Todos.

As mulheres, atletas, jogadoras portuguesas tem de ser recompensadas pelo seu valor. Se esse valor não é reconhecido em Portugal, então que o seja lá fora. Que esse talento seja recompesando, porque o esforço, a dedicão, o suor, assim o merecem! E o respeito também.

Um dia elas vão olhar para trás, sorrir, e perceber que este dia foi um dos dias mais importantes das suas vidas. Até que esse dia chegue, superação será uma das palavras mais usadas regularmente. A outra palavra será saudade. Aquela emoção que nos consome com memórias que nos prendem a um passado mas também que nos lembra da determinação que existe em cada uma de nós. Que essa saudade seja o motor de todo um sucesso que está por vir.

O futsal feminino Português tem as melhores praticantes do mundo! Do mundo! E o futuro pertence a vocês miúdas! Vai correr tudo bem!

Duas de Letra

Duas de Letra é projecto que nasce para desafiar mentalidades e divulgar uma modalidade que a mim me diz muito. É também um projecto de inclusão e igualdade, onde elas falam sobre elas, sobre eles, sobre futsal, futebol, sobre o desporto em geral. É também um local onde as memórias sobre um passado emocional surgem de forma fluida e natural.

Queremos que seja um espaço de partilha positiva e solidariedade, um espaço de sorrisos e gargalhadas, com a ajuda de todas e de todos.

Para tal conto com a ajuda de Sara Fatia, treinadora de Futsal e antiga Internacional de Futsal no Feminino.

O Adeus da Naty

Estas duas últimas semanas em Londres tem sido completamente rodeadas de notícias e decisões difíceis. Por isso, quando soube da notícia que Naty ia abdicar das balizas, nem tive muito tempo para processar e pensar sobre o assunto. Para ser sincera, faz tempo que já sabia que isso iria acontecer, mas na realidade, sempre tinha uma pequena esperança que ela se aguentasse mais uma época.

Não poderia deixar passar este momento como se fosse mais um no futsal porque não o é. Vou apenas escrever sobre os momentos que mais ficaram na minha memória por variados motivos.

O primeiro momento que vou guardar em mim foi no Mundial de Futsal que se realizou em Oliveira de Azemeis, ano 2012. Portugal nas meias finais com Espanha e quem entra para defender as grandes penalidades? A Naty. Claro. E se naquele dia carimbamos a final do Mundial foi devido ao seu talento. Eu estava a fazer a cobertura do Mundial para o site que liderava, juntamente com colaboradoras fantásticas, filmando e mais tarde editando este video que vos apresento.

Imaginem só que estava na bancada dos Média, com uma câmara sem tripé, a filmar o momento mais decisivo da partida. Queria saltar, festejar, pular de alegria mas não podia. A minha obrigação era primeiro com a gravação e depois com os festejos. Mas posso-vos dizer que foi um dos momentos mais loucos e felizes da minha vida. Obrigada Naty!

O segundo momento que guardo em mim, foi a final da Taça Nacional, corria a época 12/13. Sabem porque me lembro? Porque foi o ano em que deixei de jogar futsal. Estava então no FC Vermoim, e fizemos a Final Four da Taça Nacional em Vila Real. Sabem com quem fiquei no quarto? Com a Carla Vanessa! Escusado será dizer que não podia ter tido melhor companhia. Mas continuando.

Nessa Final 4, o FC Vermoim, Quinta dos Lombos, Restauradores Avintenses e SL Benfica lutavam pelo título nacional. Coisa pouca. Que final! Ficou tudo decidido nos últimos minutos, da última jornada. Mais uma vez a Naty, superou qualquer expectativa e carregou os Lombos e as Lombitas para o título nacional. Nessa altura, como eu passava mais tempo no banco do que a jogar, pude observar e avaliar o quão gigante era o seu talento.

Taça Nacional Feminina de Futsal. Final Four. SL Benfica 2 vs CRC Quinta dos Lombos 4

Tenho a profunda convicção que o talento vs performance de uma jogadora é tão efectivo e determinante quanto a confiança que lhes é dedicada. Se um treinador/a confia cegamente na sua jogadora, então ela é capaz de se transcender até nos momentos mais difíceis, aqueles em que as pernas pesam mais e o ar fica mais difícil de ‘engolir’.

Compromisso emocional, acho que é assim designado pelos especialistas nos tempos que correm. Porque nada tem mais força do que a fé e a energia positiva que depositam em nós como se nos carregasse pelas horas de mais dúvida e incerteza. Porque quando alguém acredita em ti, e te mostra usando uma linguagem verbal e não verbal, então tu superas-te de uma forma que nem tu sabes como. Interessante, como outros podem ou não influenciar as nossas ações.

Por isso nunca entendi muito bem porque é que a Naty nunca teve essa fé e essa energia por parte da equipa técnica nacional na hora das grandes decisões. O talento e dedicação da Naty merecia, no meu entendimento, mais minutos com a camisola da Quinas. Mas, como sempre, esta é apenas a minha opinião. Nada mais.

65 Internacionalizações. 1247 minutos jogados. 1 golo marcado.

Desejo que este passo seguinte na vida da Naty seja feito de forma tranquila e segura e acima de tudo, desejo que ela continue ligada à modalidade por muitos e muitos anos. Ser treinadora de futsal, mais especificamente, de guarda redes é algo que a nossa modalidade precisa e muito. As nossas referências do jogo devem permanecer para ensinar o jogo. Com o mesmo cuidado, dedicação, competência, valores e saber estar. E quem melhor para isso do que ex internacionais? Não conheço.

Naty, obrigada pelas memórias que nos deixas. Acima de tudo, obrigada pela forma como nos deixas essas memórias. Foi um prazer absurdo ver-te jogar e um orgulho tremendo ver-te representar a nossa seleção.

Um legado só. Obrigada.

Futsal Feminino em Aveiro

Quem acompanha a modalidade no distrito (no feminino), conhece o declínio que esta vem apresentando ao longo dos anos.

De um campeonato com mais de 15 equipas em competição há alguns anos atrás, passámos, na última época, para um total de 6 equipas.

Os motivos para tal? Alguns… Nomeadamente e, em grande parte, falta de apoio da associação que representamos, à modalidade. 

Face a estas dificuldades e, tendo em conta a vontade da associação em manter a modalidade no feminino, esperavam-se ações no sentido de desenvolver a modalidade e, apoios aos clubes – que vão sobrevivendo como podem, graças ao esforço de treinadores, diretores e atletas, que trabalham, de forma totalmente amadora, para que estes se mantenham. 

Ações e apoios que, escusado será dizer, como se pode constatar pelo número de equipas em competição, foram praticamente nulos ao longo dos anos. 

Quando, este ano, finalmente pensávamos ver a luz ao fundo do túnel, com o anúncio da disponibilização de uma verba de apoio aos clubes, face à situação atual, eis que recebemos a seguinte informação:

O C.S.P.S.P. Castelões – equipa inscrita na AF Aveiro desde a época 2006/2007 e que em muito contribuiu para o desenvolvimento da modalidade no distrito e para a sua continuidade – terá a honra de receber, por parte da associação que representa, um apoio no valor de 78€, ou seja, 6.50€ por atleta! 

É este o apoio que a AF Aveiro irá dar a um clube que, por exemplo, SÓ em filiação da equipa na nova época, terá uma despesa de 280€. 
Como esta despesa, poderia enumerar muitas outras. 

De salientar que, junto ao valor atribuído ao clube, constava a seguinte nota: 
“Este apoio pretende constituir uma ajuda relevante para a rápida retoma da atividade e início da próxima época desportiva”. 

Pois bem, creio que após esta nota não será preciso dizer mais. 

Talvez assim se entenda o porquê desta queda a pique do Futsal Feminino em Aveiro.

Texto escrito por Isabel Henriques, jogadora do C.S.P.S.P. Castelões

Campeã Olímpica deixa a modalidade

O que é que leva uma campeã olímpica abandonar a modalidade do futsal?

Não é por ser uma jogadora que é Campeã Olímpica mas sim o que esta jogadora representa.

Naturalmente desejo que a Telma conquiste novos desafios, no entanto, questiono-me que, para além da reestruturação das nossas competições, que estratégias estão delineadas pela nossa FPF e AD’s para o aumento do número de atletas no feminino.

Existe alguma? Eu não sei.

E quando eu não sei de algo, eu tento perceber, aprender e escuto outras opiniões.

Por isso, se tiverem alguma opinião, por favor partilhem comigo.

Futsal EURO finals in Gondomar

 

Porto’s Pavilhão Multiusos de Gondomar will host the first UEFA Women’s Futsal EURO finals in February, following a decision by the UEFA Executive Committee in Nyon, Switzerland.

The Portuguese Football Federation (FPF) beat off a bid from the Royal Spanish Football Federation (RFEF) to host the event. Portugal also staged the finals of the first UEFA Futsal Cup in 2002.

Previously the venue for UEFA Futsal EURO 2007, Pavilhão Multiusos de Gondomar will welcome hosts Portugal along with fellow qualifiers Russia, Spain and Ukraine.

The four contenders will enter the semi-final draw on a date to be announced. The ties will be played on 14 or 15 February, with the final and third-place play-off on 17 February.

 

in UEFA.COM

UEFA Women’s Futsal EURO 2019

UEFA EURO Womens Futsal logo

A total of 23 nations have entered the first UEFA Women’s Futsal EURO and all will be involved in the qualifying draw at 13:30CET on 5 July.

Last year UEFA announced the launch of its first women’s futsal competition for national teams, to be held every two years with initially a four-team knockout final tournament. That will be held in mid-February 2019, to be hosted by one of the four eventual qualifiers.

The entrants include Northern Ireland, taking part in their first international futsal tournament for men or women. The full procedure for the qualifying draw (which will cover both rounds) will be confirmed before the ceremony.

Qualifying format:

Preliminary round: 21–26 August

  • The 13 nations with the highest ranking as per the UEFA futsal national teams coefficient ranking receive a bye.
  • The other ten entrants will enter the preliminary round.
  • The draw will produce two groups of three teams and one of four, played as one-venue mini-tournaments.
  • The three group winners advance to the main round join the 13 teams given byes.

Main round: 11–16 September

  • The 13 teams given byes and the three preliminary round winners will be drawn into four groups of four teams, played as mini-tournaments.
  • The four group winners will advance to the knockout finals in mid-February, with one of the nations appointed as hosts later in September.

Bye to main round
Russia
Spain
Portugal
Kazakhstan
Ukraine
Italy
Serbia
Slovenia
Croatia
Hungary
Czech Republic
Romania
Poland

Enter in preliminary round
Slovakia
Belarus
Netherlands
Belgium
Finland
Moldova
Sweden
Armenia
Lithuania
Northern Ireland

The calendar
Qualifying draw: 5 July, Nyon
Preliminary round: 21–26 August
Main round: 11–16 September
Finals draw: TBC
Final tournament: 14 or 15 & 16 or 17 February

in UEFA.COM